Novo PAC impulsiona infraestrutura e transição energética no Nordeste

Sergipe é o estado com  maior volume de recursos provisionados entre os nove que compõem a região, seguido da Bahia, Maranhão e Pernambuco. No total, serão investidos R$ 700,4 bilhões

Dos R$ 1,7 trilhão a serem investidos em todos os estados do Brasil, sendo mais de R$ 1,3 trilhão até 2026 e R$ 300 bilhões pós 2026, os nove estados do Nordeste serão contemplados com R$ 700,4 bilhões. 

A maior parte dos recursos previstos serão alocados para obras de infraestrutura, com prioridade para segurança hídrica, transportes, logística, moradia, investimentos em educação, ciência e tecnologia , transição e segurança energética. 

Por ordem alfabética por estados, a Revista Nordeste traz os principais projetos e obras de cada um e recursos a serem investidos.

Alagoas

Em volume de recursos, Alagoas ficou na sexta posição entre os estados nordestinos, com previsão de investir R$ 47 bilhões no Novo Programa de Aceleramento, o novo PAC.

 No conjunto de obras de infraestrutura, entre as principais, destacam-se a duplicação da BR-101; a duplicação do Arco Metropolitano de Maceió; o Canal do Sertão Alagoano – Trecho 5, o Novo Hospital Metropolitano do Agreste – Arapiraca e moradias do Minha Casa, Minha Vida. 

Outra fatia que receberá parte dos recursos é o eixo de desenvolvimento do novo PAC ligado à construção de creches, escolas de tempo integral e a modernização e expansão de Institutos e Universidades Federais. O investimento em Alagoas é de R$ 14,8 bilhões.

 Cidades Sustentáveis

Para que os municípios alagoanos se adaptem às mudanças climáticas e ofereçam melhor qualidade de vida para a população, o eixo Cidades Sustentáveis e Resilientes vai construir novas moradias do Minha Casa Minha Vida e financiar a aquisição de imóveis, além de modernização da mobilidade urbana, em urbanização de favelas, esgotamento sanitário, gestão de resíduos sólidos, contenção de encostas e combate a enchentes. O investimento em Alagoas é de R$ 13,8 bilhões.

  Bahia 

Segundo maior estado do Nordeste a ser contemplado com recursos, a Bahia investirá R$ 119,4 bilhões no Novo PAC.

Entre as obras previstas e consideradas importantes para o desenvolvimento do estado estão as duplicações das BR-101, da divisa de Sergipe a Feira de Santana; 116, de Serrinha a Feira de Santana; 242, de Barreiras a Luís Eduardo Magalhães; Contorno Norte de Feira de Santana; a Ferrovia de Integração Oeste-Leste (FIOL); Duplicação da Estrada do Derba – BRT Águas Claras até o Subúrbio; Barragens Catolé, Morrinhos, Baraúnas e Rio da Caixa; a Adutora da Fé; e moradias do Minha Casa Minha Vida.

O eixo de Transição e Segurança Energética que garante a diversidade da matriz energética receberá a maior parte dos recursos, com R$ 36,3 bilhões, seguido dos investimentos em rodovias, ferrovias, portos, aeroportos e hidrovias, com R$ 27,8 bilhões, entre as quais, a Ferrovia de Integração Leste Oeste  (Fiol), que vai ligar o Porto de Ilhéus, na Bahia, a cidade de Figueirópolis, no estado do Tocantins, na região de Matopiba,  e se integrará a Ferrovia Norte-Sul.

Moradia e esgotamento 

O Novo PAC investirá também na modernização da mobilidade urbana de forma sustentável, em urbanização de favelas, esgotamento sanitário, gestão de resíduos sólidos e contenção de encostas e combate a enchentes. A Bahia terá o terceiro maior orçamento neste eixo: R$ 16,3 bilhões.

Ceará

No conjunto de obras do novo PAC para o Ceará destacam-se a duplicação da BR-116 – Pacajus –  Boqueirão do Cesário – Tabuleiro do Norte; a Transnordestina;  a duplicação do Eixão das Águas do Ceará; o Cinturão das Águas do Ceará – Trecho I e o Ramal do Salgado, além de moradias do Minha Casa, Minha Vida.

Serão R$ 73,2 bilhões em recursos, quinto maior orçamento da região, sendo o volume maior destinado a educação, ciência e tecnologia, com R$ 21 bilhões, seguido de mobilidade urbana e moradia com R$ 15,1 bilhões e no eixo do programa Água para Todos os investimentos em recursos hídricos serão de R$ 12,9 bilhões.

O eixo Transporte Eficiente e Sustentável, que reúne os investimentos em rodovias, ferrovias, portos, aeroportos e hidrovias,o investimento no Ceará é de R$ 11,2 bilhões, incluindo a duplicação da BR 116  e o trecho que liga a Transnordestina, de Currais Novos, no Sul do Piauí, ao Porto de Pecém.

Maranhão

O Maranhão terá o terceiro maior orçamento do novo PAC, na região Nordeste, com R$ 93,9 bilhões em obras. 

Entre as obras elencadas para o desenvolvimento do estado estão a adequação da BR-135/316 – Miranda do Norte – Timon; a duplicação da BR-010 – Imperatriz-Açailândia; a universalização do abastecimento de água em Barreirinhas, São Luís e Imperatriz e moradias do Minha Casa, Minha Vida.

Para atender ao desafio da transição e segurança energética, por meio do programa Luz para Todos, o Novo PAC no Maranhão tem a maior destinação dos recursos, com R$ 30,5 bilhões, seguidos de Educação, Ciência e Tecnologia com R$ 21,1 bilhões e rodovias, ferrovias, portos, aeroportos e hidrovias com R$ 15 bilhões.

Paraíba

O estado paraibano foi o menor contemplado na divisão orçamentária do novo PAC, com R$ 36,8 bilhões para obras e serviços.

Entre as principais obras a duplicação da BR 230 (Campina Grande – Farinha); a Adequação da BR 230 (Cabedelo – Oitizeiro), Vertentes Litorâneas da Paraíba (Trechos I e II), e os Hospitais de Clínicas e Traumatologia do Sertão Paraibano – Patos, e moradias do Minha Casa, Minha Vida.

A construção de creches, escolas de tempo integral e a modernização e expansão de Institutos e Universidades Federais são prioridades na educação, ciência e tecnologia, onde o programa prevê a maior fatia de investimento com R$ 14,8 bilhões.

A segurança hídrica vem em seguida com o programa Água para Todos, com investimentos de R$ 6,3 bilhões. Transição e Segurança Energética vem em terceiro com R$ 4,9 bilhões.

Pernambuco

Em Pernambuco, o programa vai investir R$ 91,9 bilhões, quarto maior orçamento do Nordeste para obras e serviços. 

Após décadas, Transnordestina foi contemplada no Novo PAC Foto: Reprodução Internet

Com destaque no conjunto das obras estão a Transnordestina, trecho que liga a cidade de Salgueiro, no sertão pernambucano ao Porto de Suape, na Região Metropolitana do Recife, estimado em R$ 5 bilhões; a Adequação da BR 423 (São Caetano – Lajedo); a Adequação da BR 104 (Caruaru – Divisa PB), além de obras de segurança hídrica como a Adutora do Pajeú (2ª Fase), a Adutora do Agreste Pernambucano (1ª Etapa) e moradias do Minha Casa, Minha Vida.

Os eixos com maior volume de recursos do novo PAC para Pernambuco foram Educação, Ciência e Tecnologia, com R$ 21,1 bilhões; Transição e Segurança Energética com 16,8 bilhões; Cidades Sustentáveis e Resilientes, com 14,8 bilhões e Transporte Eficiente e Sustentável, que garante os investimentos em rodovias, ferrovias, portos, aeroportos e hidrovias em Pernambuco de R$ 11,2 bilhões.

Piauí

Com R$56,5 bilhões no novo PAC previstos para o Piauí com objetivo de acelerar o crescimento e gerar emprego e renda, o estado ficou na sétima colocação orçamentária do Nordeste, atrás apenas do Rio Grande do Norte e da Paraíba.

Estão previstas entre as principais obras para o estado a Duplicação da BR 343 (Teresina – Altos); a Construção da BR 330 (Divisa MA – Entroncamento PI 392 – Entroncamento PI 397 e Ponto de Ribeiro Gonçalves); a Adutora de Jaicós, a Barragem Nova Algodões e moradias do Minha Casa, Minha Vida.

O eixo Educação,Ciência e Tecnologia foram contemplados com R$ 14,6 bilhões, seguidos de Cidades Sustentáveis e Resilientes, com R$ 11,5 bilhões e investimentos em rodovias, ferrovias, portos, aeroportos e hidrovias a fim de reduzir os custos da produção nacional para o mercado interno e elevar a competitividade do estado com R$ 10,5 bilhões.

Rio Grande do Norte

Novo PAC vai investir R$ 45,1 bilhões no Rio Grande do Norte, sendo o penúltimo estado da Região em volume de recursos ficando atrás da Paraíba.

 Obras como a  Duplicação da BR 304 – Reta Tabajara; Duplicação da Mossoró – Entroncamento RN 016; Duplicação da BR 304 – Entroncamento RN 120 – Entroncamento BR 226,  e investimentos em segurança hídrica para população potiguar como a Barragem Oiticica, Ramal do Apodi, além do Novo Hospital de Urgências e Emergências em Trauma e Neurocirurgia Parnamirim e moradias do Minha Casa, Minha Vida estão entre as prioridades.

Entre os eixos destacam-se Educação, Ciência e Tecnologia, com R$ 14,8 bilhões, seguidos da segurança hídrica por meio do programa Água para Todos com R$ 6,5 bilhões; Saúde com R$ 6,3 bilhões e Inovação para a Indústria da Defesa, com R$ 6,3 bilhões.

 Sergipe

 Sergipe ficou com a maior dotação no Nordeste do Novo Programa de Aceleração do Crescimento, com R$136,6 bilhões.

 Entre as obras e serviços mais importantes para Sergipe, registram-se a duplicação da BR-101 – Sul e Norte; o gasoduto do Projeto Sergipe Águas Profundas e moradias do Minha Casa, Minha Vida.

Projeto Águas Profundas de Sergipe foi incluído no novo PAC. Foto: Governo de Sergipe

Dos R$ 136,6 bilhões para o estado sergipano, o eixo Transição e Segurança Energética terá  a maior parte dos investimentos, com R$ 109,7 bilhões, seguido de Educação, Ciência e Tecnologia com R$ 10,5 bilhões e investimentos em rodovias, ferrovias, portos, aeroportos e hidrovias de R$ 7 bilhões, seguido de segurança hídrica, por meio do programa Água para Todos, com R$ 4,7 bilhões.

 

*Com informações da Assessoria de Imprensa da Casa Civil

Matéria produzida pelo EJ para a edição 199, da Revista Nordeste, Agosto de 2023

Please follow and like us:

Luciana Leão

Leia mais →

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

dez − 3 =

Twitter
Visit Us
Follow Me
LinkedIn
Share
Instagram