Energia solar nos telhados bate R$ 6,3 bi de investimentos

Os investimentos privados em sistemas de geração própria de energia solar em telhados e pequenos terrenos continuam a crescer em todo o País. Apenas nos últimos 20 dias atingiram R$ 6,3 bilhões.

Segundo mapeamento do Portal Solar, franqueadora para venda e instalação de painéis fotovoltaicos, os recursos aplicados nos projetos em residências, comércios, indústrias e propriedades rurais saltaram de R$ 76,6 bilhões acumulados no final de outubro para R$ 82,9 bilhões na metade de novembro, um crescimento de 8,2% em menos de um mês.

O levantamento é feito com base nos dados oficiais da Agência Nacional de Energia elétrica (Aneel) e da Associação Brasileira de Energia Solar Fotovoltaica (ABSOLAR).

Tais investimentos dos últimos 20 dias foram responsáveis pelo acréscimo de 1 GW na capacidade instalada de painéis solares em residências e empresas e pela criação de cerca de 30 mil novos empregos na área no País.

Segundo o Portal Solar, entre janeiro e novembro deste ano, a potência acumulada na última década de energia solar em telhados cresceu 66%, passando de 9 gigawatts (GW) para 15 GW este mês.

Já o nível de emprego no setor desde 2012 subiu de 260 mil postos de trabalho acumulados em janeiro para 450 mil em novembro, aumento de 73%.

E o montante de consumidores que aderiram aos sistemas também teve um acréscimo de 100 mil no País, saltando de 1,7 milhão em outubro para 1,8 milhão este mês.

Para o CEO do Portal Solar, Rodolfo Meyer, o avanço dos projetos fotovoltaicos no País reflete a busca dos consumidores por alternativas sustentáveis para reduzir gastos na conta de luz.

“A energia solar é atualmente um investimento bastante rentável e ajuda a aliviar o orçamento das famílias brasileiras e ampliar a competitividade das empresas”, explica.

Prazo

Consumidores tem até 6 de janeiro para aderir e ganhar isenção por pelo 23 anos. Foto: Divulgação Sicredi

E de olho na redução, os consumidores que pretendem instalar um sistema fotovoltaico em suas residências ou empresas, tem até o dia 6 de janeiro de 2023 para aderir à energia solar sem o pagamento da tarifa de distribuição e garante isenção de encargos até 2045.

O benefício, fruto da Lei 14.300/22, que instituiu o Marco Legal da Geração Distribuída, vem ampliando a corrida pela instalação de projetos da energia limpa, renovável e sustentável que usa a luz do sol como fonte de eletricidade e diminui os gastos com a conta de luz em até 90%.

Financiamento

Para tornar essa redução com a conta de energia uma realidade, pelo menos  pelos próximos 23 anos, o Sicredi, cooperativa de crédito Vale do São Francisco, desenvolveu uma linha de financiamento que é uma opção para tirar esse sonho do papel. 

A solução contempla o projeto elaborado por uma empresa especializada, os equipamentos, placas, inversores e acessórios. Tudo com taxas acessíveis e prazo de até 60 meses para pagar.

De acordo com o diretor executivo do Sicredi Vale do São Francisco, Albérico Pena, os custos variam conforme a necessidade de geração de energia de cada projeto.

 “Os gastos com a instalação serão pagos pelo próprio sistema de energia solar, visto que ele permanecerá gerando energia e economia na conta de luz”, ressaltou.

Pena, destacou ainda que o investimento se paga no período de 5 anos, em média, e que a economia gerada a longo prazo cobre os custos com o parcelamento do financiamento. 

“O sistema fotovoltaico garante um menor impacto ambiental, ajudando na preservação do ecossistema”, acrescentou.

*Com informações da Absolar, Portal Solar e Sicredi

Foto destaque: Assessoria Sicredi

Please follow and like us:

Luciana Leão

Leia mais →

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

7 + 15 =

Twitter
Visit Us
Follow Me
LinkedIn
Share
Instagram