Fruticultores de Petrolina enfrentam prejuízos com as chuvas

O excesso de chuva tem preocupado os fruticultores em Petrolina, no Sertão do estado. Em muitas propriedades, os cultivos de uvas estão alagados e os parreirais foram derrubados. As chuvas intensas ocorreram por mais de três horas na segunda -feira (28), e na tarde desta terça (29), em Petrolina – PE e região.

De acordo com o presidente do Sindicato dos Produtores Rurais de Petrolina (SPR), Jailson Lira, cerca de dois mil fruticultores, somente em Petrolina-PE, contabilizaram prejuízos com as últimas chuvas.

“Além do aumento das pulverizações para o combate de pragas e doenças e a execução do serviço de drenagem, o produtor de uva tem ainda que investir em cobertura dos parreiras e comprometer boa parte dos ganhos com as despesas de pessoal e os aumentos constantes do preço dos insumos agrícolas “, afirma.

Faepe pede apoio ao Governo

Em nota, a Federação da Agricultura e Pecuária do Estado de Pernambuco (Faepe) solicita ao governo ações de caráter urgente para mitigar os prejuízos e permitir que os produtores continuem suas atividades, como ocorreu em outras regiões.

“Há de se verificar quais desses produtores possuem seguro rural para amenizar as perdas financeiras tão significativas”, questiona Pio Guerra, presidente da entidade.

“Além das perdas, as enchentes afetaram a qualidade das frutas e aumentarão significativamente os custos com tratos culturais dos pomares. Além disso, as frutas danificadas perdem valor no mercado”, disse o presidente da Faepe.

Guerra lembrou ainda que, as chuvas ocorridas no início do ano, já haviam causado sérios prejuízos ao Vale do São Francisco.

Projeto Nilo Coelho

Produtores rurais tentam reverter as perdas com as chuvas. Foto: Divulgação

No projeto Senador Nilo Coelho, perímetro de irrigação mais prejudicado, o pequeno produtor, Pedrão Romualdo, lamentou a situação do seu lote, no Núcleo 11, após a chuva derrubar um parreiral com mais de 1,5 hectare de uvas que seriam colhidas na próxima segunda -feira.

Além dos parreiras caídos, outra preocupação dos produtores é com a quantidade de frutas perecendo, sem ter como serem colhidas ou apodrecendo por conta das pragas e doenças que se estabelecem no período chuvoso.

Segundo o produtor Cristino Guimarães Leite, caíram nestes dois dias mais de 50mm sobre os pomares acostumados com uma irrigação controlada. ” Muitos fruticultores ainda nem tinham calculado direito os prejuízos com os 300 mm de chuvas que castigaram o Vale do São Francisco no último mês de outubro”.

O Instituto Nacional de Meteorologia (INMET) prevê mais chuvas, até a próxima sexta-feira (2), sendo Petrolina entre as regiões pernambucanas que seguem sendo afetadas por chuvas entre 30 e 60 mm/h ou 50 e 100 mm/dia, além de ventos intensos (60-100 km/h).

*Com Informações da Assessoria da Faepe e do SPR- Petrolina (PE)

 

.

 

Please follow and like us:

Redacao EJ

Leia mais →

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

cinco × quatro =

Twitter
Visit Us
Follow Me
LinkedIn
Share
Instagram