BNDES seleciona novos projetos de educação, meio ambiente e emprego

Iniciativas que desejam participar do 4º ciclo de avaliação do BNDES Fundo Socioambiental têm até 23 de dezembro para enviarem novas propostas dos setores de educação, meio ambiente e geração de emprego e renda no novo ciclo de avaliação da Chamada Permanente do Fundo Socioambiental.

O fundo disponibiliza recursos com foco na inclusão social, priorizando projetos que proporcionem benefícios para as populações de baixa renda. Nos três primeiros ciclos de avaliação, o BNDES recebeu 86 propostas, sendo 31 de educação, 29 de meio ambiente e 26 de geração de emprego e renda. Do total, 14 seguem em análise e 10 já foram aprovadas, no valor total de R$ 115 milhões, sendo metade apoiado com recursos do BNDES Fundo Socioambiental e a outra metade por contrapartidas privadas e públicas.

Os projetos aprovados serão apoiados com recursos de doação (não reembolsáveis), ou seja, sem necessidade de devolução ao BNDES, desde que cumprido o contrato estabelecido e realizado o objeto da contratação, com a efetiva contrapartida socioambiental. Os que não forem considerados aptos em um ciclo podem ser aprimorados e reapresentados nos ciclos subsequentes. O Fundo Socioambiental também foi reformulado recentemente e trouxe novos critérios mais detalhados e objetivos na avaliação dos projetos.

O apoio do BNDES é sempre colocado em paridade com outros apoiadores (matchfunding), de forma que o atual orçamento de até R$ 150 milhões para contratação em 2022, dá lastro a um volume total de apoio de R$ 300 milhões.

Bruno Aranha, diretor de Crédito Produtivo e Socioambiental do Banco. Foto: José Cruz/ Agência Brasil

“O Fundo Socioambiental segue com a sua chamada permanente para projetos de muita importância para o desenvolvimento social do país. As propostas já aprovadas, em menos de dois anos, deverão contribuir para a melhoria da educação de mais de 4 milhões de estudantes em cerca de 16 mil escolas de 15 redes estaduais. São mais de 350 redes municipais em todas as regiões do Brasil. Ou seja, são quase 10% de todos os alunos de escolas públicas do país. E é apenas o início da jornada”, afirma Bruno Aranha, diretor de Crédito Produtivo e Socioambiental do Banco.

Todos os proponentes responsáveis pelos projetos deverão ser entes privados sem fins lucrativos. As ações propostas deverão ter valor mínimo de R$ 5 milhões. As propostas serão analisadas de acordo com os critérios divulgados na página do Fundo Socioambiental onde é possível obter mais informações sobre a Chamada Permanente.

*Com informações do BNDES

 

Please follow and like us:

Luciana Leão

Leia mais →

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

cinco + 20 =

Twitter
Visit Us
Follow Me
LinkedIn
Share
Instagram