Tecnologia para apoiar a retomada de eventos de forma segura

 

Em recentes reportagens em quase todos os veículos nacionais do País foram constatadas dificuldades que a população vem tendo para ter acesso ao passaporte de vacinação emitido pelo Ministério da Saúde, via plataforma Conecte-SUS.

Além de gerar dúvidas pela eficiência e muita polêmica entre diversos segmentos quais sejam esportivo, clubes, especialistas em saúde, turismo, empresas de entretenimento,  entre tantos outros, deixa uma lacuna em aberto no mercado, mas que já é realidade para empresas de softwares no Brasil e no exterior: A eficiência na prática de ferramentas já existentes no mercado podem agregar valor e complementar à plataforma utilizada pelo Ministério da Saúde e demais iniciativas espalhadas pelos estados e municípios.

Diante deste cenário, várias startups colocaram à mesa para governantes e empresas privadas soluções avançadas de tecnologia, para fazer esse retorno com segurança e responsabilidade.

Exemplo nascido na capital pernambucana, em 2016, a startup franco-brasileira Mooh!Tech, especializada em desenvolvimento de softwares, desenvolveu o Chronus i-Passport, uma multiplataforma para ajudar a gestão pública e privada no controle e disseminação do vírus. Com escritório sede em Paris, desde 2019, a startup também está instalada em São Paulo no espaço coworking do InovaBRA, na Avenida Paulista, em Brasília, no Distrito Federal, e no Recife.

Segundo o CEO da Mooh!Tech, Everton Cruz, o objetivo da plataforma é ajudar as prefeituras, governos e empresas privadas a terem mais controle da disseminação do vírus, além de democratizar o acesso dos cidadãos ao retorno seguro às suas atividades sociais e econômicas. “Temos de saber usar a tecnologia como facilitador. Estamos debruçados no desenvolvimento desse software desde 2013. Agora, com a pandemia, a intenção é ajudar a manter os cuidados e criar bolhas seguras”, diz Cruz.

O primeiro teste no Brasil foi em Pernambuco

O primeiro teste com o Chronus i-Passport foi feito na cidade de Afogados de Ingazeira, no Sertão de Pernambuco, com os profissionais de saúde da linha de frente do município sertanejo, em 2020.

O Chronus i-Passport funciona como uma carteira de vacinação ou, em outras palavras, um passaporte digital de profilaxia onde cada cidadão tem seus próprios dados inseridos no passaporte como, por exemplo, se tomou a primeira dose da vacina da covid 19, em qual data, o tipo de vacina, entre outras informações importantes. No futuro, a expectativa da startup franco-brasileira é que a plataforma funcione como um prontuário eletrônico para o cidadão.

Retomada da economia

O app também abre espaço para acesso a hotéis, academias, shows e vários outros ambientes de lazer e trabalho, desde que seja adotado por seus gestores. Países como Israel, por exemplo, já adotaram este mesmo conceito e várias atividades já voltaram a ser reativadas com pessoas imunizadas ou testadas.

Por seu uso ser condicionado à testagem, caracteriza-se como auxílio ao controle de propagação da Covid 19 e como uma forma de viabilizar o cumprimento mais efetivo e seguro do planejamento desenvolvido pelas autoridades sanitárias governamentais.

“O Chronus i-Passport é uma solução de registro e identificação de saúde. Seu uso contínuo permite que apenas as pessoas com status de vacinação contra a Covid-19 circulem sem restrições. A adoção do i-Passport possibilita diminuir consideravelmente e, até mesmo, eliminar, muitos dos protocolos hoje necessários para a retomada de atividades. Ao utilizar o i-Passport como uma credencial no controle de acesso a locais públicos ou privados, várias medidas, complexas para serem atendidas, deixam de ser essenciais”, defendeu o executivo.

Além desse contexto de desburocratizar o acesso às vacinas, a startup franco-brasileira levou em conta o fato positivo que as vacinas fazem a diferença na saúde básica, onde para cada um dólar investido em imunizantes, 44 são devolvidos para a sociedade em forma de economia no sistema de saúde pública, além do que a imunização ajuda na prevenção de 2 a 3 milhões de mortes anuais no mundo, segundo a Organização Mundial da Saúde (OMS).

Parcerias efetivas

A Federação Pernambucana e a Federação Cearense aderiram ao do passaporte de vacina para acesso dos sócios torcedores aos estádios e todo seu staff.  Clubes esportivos como Sport, Náutico, Ceará e Fortaleza também aderiram à plataforma.

 

Empresas como a Tecban, Bradesco, Farmácia Pague Menos, instituições como Abrafarma e Confederação Nacional dos Municípios já aderiram à plataforma.

 

Equipamentos de turismo como o Trem do Corcovado usa o Chronus i-Passport para verificar a autenticidade da vacinação do visitante, que recebe benefícios e descontos para baixar o app no www.ipassport.com.br.

 

 

 

 

Além de Afogados de Ingazeira, o Chronus i-Passport já está em uso nas cidades de Cortês (PE), Juazeiro do Norte (CE), Guarujá (SP), Maragogi (AL) e no Distrito Federal (DF).

 

Como funciona? Segurança sanitária

São 16 milhões de usuários do Chronus i-Passport no mundo, sendo 11 milhões no Brasil. A plataforma reúne informações sobre a saúde das pessoas, como a vacinação de toda sua vida, consultas e exames, seguindo às normas previstas pela Lei Geral de Proteção de Dados (LGPD).

No aplicativo, a pessoa baixa seus testes e aplicações de vacinas de combate ao coronavírus. Com camadas de segurança, filtros, cruzamento de dados, a ferramenta fecha o cerco em possíveis fraudes. Os fiscais têm acesso às informações do aplicativo, acessadas por QR Code no smartphone do usuário, tornando o acesso seguro, sem possibilidade de fraudes, como ocorreu recentemente em Minas Gerais e Brasília, durante partidas de futebol.

Os dados são fornecidos por secretarias de saúde e clínicas. Ao identificar se as pessoas estão vacinadas ou testadas negativamente para Covid-19, o aplicativo libera ou restringe a participação do cidadão na partida ou em qualquer estabelecimento, a exemplo do que ocorreu, este ano, no Super Bowl, nos Estados Unidos, com a presença de 25 mil pessoas no estádio. A plataforma utilizada foi Chronus i-Passport da Mooh Tech.

A plataforma Chronus i-Passport vem sendo adotada por vários países e em alguns estados e municípios do Brasil. Com base em tecnologia multifuncional traz em seu sistema um passaporte de profilaxia, o i-Passport, ou seja, uma carteira de vacinação digital que registra informações como vacinas e resultados de testes, tendo a funcionalidade de um cartão de vacinação, nacional e internacional. Tudo isso em um único e prático aplicativo de smartphone.

O Chronus i-Passport também envia notificações sobre o vencimento das vacinas do usuário e segue todas as diretrizes de respeito à privacidade, pois, disponibiliza os dados apenas para as autoridades sanitárias locais. “O aplicativo pode ser usado como um pequeno prontuário médico, tornando o dia a dia do usuário mais prático e seguro, pois, a equipe de emergência poderá acessar seus dados médicos na eventualidade de um acidente ou mal-estar súbito”, acrescenta o desenvolvedor.

Outro grande diferencial do sistema é que ele não é voltado apenas ao coronavírus. Por se tratar de um app multifuncional, com registro de dados, ele possibilita o acompanhamento da imunização e testagem dos cidadãos e ajuda a estabelecer protocolos médicos e sanitários, relativos às mais diversas doenças, evitando o surgimento de novas pandemias e epidemias, explica Everton Cruz, sócio da Mooh! Tech e desenvolvedor do software.

Please follow and like us:

Luciana Leão

Leia mais →

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

cinco × 2 =

Twitter
Visit Us
Follow Me
LinkedIn
Share
Instagram