Prefeitura do Recife instala sensores para medir alagamentos

A instalação dos primeiros cinco pluviômetros e cinco sensores de alagamento municipais na cidade foram concluídas nesta segunda-feira (17) pela Prefeitura do Recife.

A tecnologia reforça o trabalho integrado do Centro de Operações do Recife (COP), que reúne 13 secretarias e órgãos municipais com atuação na Ação Inverno para integrar o monitoramento da situação e agilizar o atendimento às ocorrências. A previsão é chegar a 50 equipamentos distribuídos por todo o território da capital.

Locais

Os primeiros instrumentos, cada um com sensor de alagamento e pluviômetro, estão funcionando na Avenida José Rufino (próximo ao Colégio Visão); na Praça da Chesf, na Avenida Abdias de Carvalho; na Avenida Mascarenhas de Morais, em frente à Universo; na Avenida Recife, na entrada do Ibura; e na Avenida Dois Rios.

Tecnologia concede autonomia ao COP para tomada de decisões em estágios de alerta durante as chuvas. Foto: Prefeitura do Recife 

Os aparelhos permitem que COP tome decisões com base em informações atualizadas, além de calibrar os dados dos modelos hidrológicos.

 “A Prefeitura investe muito em tecnologia, inclusive para melhorar a prevenção e o atendimento às ocorrências causadas pelas chuvas. Os pluviômetros medem em tempo real o volume de precipitação de água em cada local da cidade. E os sensores nos informam sobre o início dos alagamentos, o período no qual eles se mantêm e sobre o escoamento das águas”, explica o chefe do COP e secretário de Planejamento, Gestão e Transformação Digital, Felipe Matos.

Com os instrumentos, a Prefeitura não precisará ficar dependente de outras instituições. “Nas chuvas do dia sete de julho, por exemplo, todos os pluviômetros que pertencem ao Cemaden, centro de monitoramento que a APAC também utiliza, estavam fora do ar. Agora teremos autonomia no nosso trabalho, mesmo que haja um problema nacional no funcionamento desses aparelhos”, afirma Matos.

Sensores de vazão

Nos próximos 30 dias, serão instalados também oito sensores de vazão e de nível na bacia do Rio Tejipió.

“O ponto escolhido para colocá-los foi definido pela equipe holandesa que está validando os nossos projetos. Com isso, poderemos ter as informações do rio para calibrar e validar o modelo hidrológico que projetamos e que nos dará a base para fazermos o projeto executivo de macrodrenagem do Rio Tejipió. É um processo muito técnico e que precisa de muitos dados”, complementa o prefeito João Campos

COP

O Centro de Operações do Recife (COP), lançado este ano pela Prefeitura do Recife, reúne 13 secretarias e órgãos municipais que atuam nos dias de chuva.

O objetivo é integrar o trabalho dos servidores para aumentar a eficiência das ações.

Quando a cidade entra em Estágio de Atenção, representantes de áreas como Defesa Civil, SAMU, Guarda Municipal, Assistência Social, Emlurb, Controle Urbano, Assistência Militar e Saúde se reúnem numa sala equipada com painéis para monitorar a situação em tempo real e agilizar o atendimento às ocorrências.

 

 

Please follow and like us:

Redacao EJ

Leia mais →

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

quatro × 1 =

Twitter
Visit Us
Follow Me
LinkedIn
Share
Instagram