Morre Rainha Elizabeth II , monarca do Reino Unido, aos 96 anos,

A Rainha Elizabeth II, monarca do Reino Unido da Grã-Bretanha e Irlanda do Norte, morreu hoje (8), aos 96 anos, no Castelo de Balmoral, na Escócia. A informação foi divulgada pela assessoria da família real britânica em suas redes sociais e em seu site oficial.

A mensagem publicada no Twitter diz que “a Rainha morreu tranquilamente em Balmoral nesta tarde. O Rei e a Rainha Consorte permanecerão em Balmoral nesta noite e retornarão a Londres amanhã”.

Por meio de nota, o agora Rei Charles III  disse que a morte de “uma estimada soberana e uma mãe muito amada” é um momento de grande tristeza para ele e toda a família real. “Sei que sua perda será sentida profundamente por todo o país, os reinos [dos quais ela também era monarca] e a Comunidade das Nações, e por inúmeras pessoas ao redor do mundo”.

A rainha nasceu em 21 de abril de 1926 e tornou-se herdeira aos 10 anos de idade, depois que seu tio Eduardo VIII abdicou do trono, passando a coroa para o irmão, Rei George VI, pai de Elizabeth. Aos 25 anos, com a morte de seu pai, em 6 de fevereiro de 1952, tornou-se regente. Em 2 de junho de 1953, aos 26 anos, foi coroada rainha do Reino Unido.

Casou-se em 1947, com o príncipe grego, o oficial da Marinha Philip Mountbatten, e tiveram quatro filhos: os príncipes Charles, Anne, Andrew e Edward. Charles, o mais velho, nascido em 1948, será coroado como próximo rei britânico.

Foi a rainha que serviu mais tempo como monarca em toda a história do Reino Unido. Segundo informações da família real, ela se envolveu, como patrona real ou presidente, com mais de 600 obras de caridade, associações militares, corporações profissionais e organizações de serviço público.

Além de servir como rainha do Reino Unido, foi chefe de Estado de outras 14 nações independentes: Austrália, Nova Zelândia, Canadá, Jamaica, Antígua e Barbuda, Bahamas, Belize, Granada, Papua Nova Guiné, Ilhas Salomão, São Vicente e Granadinas, São Cristóvão e Névis, Santa Lúcia e Tuvalu.

Em seu reinado, trabalhou com 15 primeiros-ministros, sendo o primeiro deles Winston Churchill e a mais recente Liz Truss, que assumiu o cargo há poucos dias.

Legado

Kai Lehmann, professor de Relações Internacionais, destaca os principais desafios durante o longo reinado da rainha. “A gente pode destacar que ela testemunhou o processo de descolonização, ou seja, o fim do Império Britânico, a entrada e saída da União Europeia e evidentemente a morte da princesa Diana”.

Além disso, o professor lembra que, durante esses anos, o Reino Unido passou por guerras e crises políticas e econômicas. Nesse contexto de crises e instabilidade, a rainha Elizabeth virou uma representação de confiança para o povo britânico. “Tem várias gerações que só conhecem ela como chefe de estado, ela era um símbolo de continuidade e segurança em tempos incertos e sombrios. Os britânicos gostam muito de tradição, principalmente para os ingleses, a monarquia representa isso, representa tradição, representa glória e, principalmente, a glória do passado”, explica.

Agora, o trono do Reino Unido  é ocupado pelo filho mais velho de Elizabeth II, Charles III, o príncipe de Gales. Com 73 anos, ele é o rei mais velho a assumir o trono, e segundo o professor, pode ser considerado um rei de transição.

Além de dar continuidade à tradição, Charles enfrenta desafios econômicos e políticos, “O que vai acontecer com a Escócia? Com a Irlanda do Norte? Então, eu acho que o principal desse desafio do Charles vai ser além da própria instituição da Monarquia, vai ser uma influência, me parece que ele vai ter um trabalho difícil nesse sentido, de incorporar a tradição e continuidade. Ele vai ter que achar uma maneira de como exercer esse papel”, aponta o especialista.

Fontes: Agência Brasil e Brasil 61

 

Please follow and like us:

Redacao EJ

Leia mais →

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

4 × um =

Twitter
Visit Us
Follow Me
LinkedIn
Share
Instagram