IBRAM cria plataforma on line para democratizar acervos aos museus brasileiros

O Instituto Brasileiro de Museus (IBRAM), entidade vinculada ao Ministério da Cultura, lançou a Brasiliana Museus, uma plataforma online para conectar acervos e disponibilizá-los ao público, de forma gratuita.

Quem quiser conhecer a Brasiliana, pode acessar o site brasiliana.museus.gov.br. 

A iniciativa é um esforço para democratizar a cultura por meio da transformação digital. Já estão disponíveis mais de 20 mil obras de 21 museus brasileiros. 

De Pernambuco, apenas o Museu da Abolição, até o momento, aderiu à plataforma. Outros museus do Nordeste já estão na plataforma como a Casa Histórica de Alcântara (MA).

Biju de Licuri, de Maurício Kuhlman, acervo do Museu da Abolição

A Brasiliana Museus permite explorar e pesquisar coleções, promovendo pluralidade e diversidade. A ferramenta abarca diferentes regiões do país, épocas históricas e áreas do conhecimento. 

“A plataforma Brasiliana Museus é uma ferramenta fundamental pro mundo dos museus. Permite a divulgação dos museus brasileiros, a troca entre instituições e a realização de pesquisas integradas entre as instituições e acervos de museus, bibliotecas e arquivos. Os  visitantes podem conhecer os museus a distância e compartilhar em suas redes sociais, criando engajamento e valorização dessas instituições”, disse Fernanda Castro, presidente do IBRAM.

Segundo a presidente,  a plataforma também é uma importante estratégia de preservação e gestão de risco, já que permite que, num lugar seguro, todos os registros sobre os bens culturais estejam presentes. 

“Nós lançamos a plataforma no Museu do Ipiranga junto com 20 museus do Ibram e mais quatro museus externos que aderiram. E nós queremos alcançar todos os mais de quatro mil museus e pontos de memória que existem no país. O que vai democratizar o acesso e aumentar os lanços entre essas instituições e a sociedade.”

Curadorias Temáticas

A Brasiliana Museus, além de disponibilizar ao público acervos de museus brasileiros, conta com serviço de busca integrada e curadorias temáticas. Isso permite, por exemplo, que um usuário faça pesquisa de obras de diferentes museus sobre um mesmo assunto e, também, escolha conteúdos específicos.

A plataforma foi criada em parceria entre o IBRAM e a Universidade Federal de Goiás, como resultado do fomento ao projeto de pesquisa Tainacan. A ferramenta foi desenvolvida pelo Laboratório de Inteligência de Redes, sediado na Universidade de Brasília e liga ao Programa de Pós-Graduação em Ciência da Informação da UnB. 

A iniciativa é um esforço de pesquisa e desenvolvimento de tecnologia para criação de uma solução de software livre que funcione como um coletador, agregador e ainda um difusor de objetos culturais de museus brasileiros, no ambiente virtual. 

*Com informações do Brasil 61

Foto destaque: Espírito, de Bernard Bouts, França, do acervo do Museu da Abolição, Recife (PE)

Please follow and like us:

Luciana Leão

Leia mais →

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

sete + dezenove =

Twitter
Visit Us
Follow Me
LinkedIn
Share
Instagram