Energia solar atinge 27 gigawatts e ultrapassa R$ 134 bilhões em investimentos

Desde 2012, setor gerou mais de 811,4 mil empregos e evitou a emissão de 35,8 milhões de toneladas de CO2 na geração de eletricidade

O Brasil acaba de ultrapassar a marca de 27 gigawatts (GW) de potência instalada da fonte solar fotovoltaica, somando as usinas de grande porte e os sistemas de geração própria de energia em telhados, fachadas e pequenos terrenos, o equivalente a 11,6 % da matriz elétrica do País. O dado é da Associação Brasileira de Energia Solar Fotovoltaica (ABSOLAR).

De acordo com a entidade, desde 2012 a fonte solar já trouxe ao Brasil cerca de R$ 134,5 bilhões em novos investimentos, mais de R$ 41,2 bilhões em arrecadação aos cofres públicos e gerou mais de 811,4 mil empregos acumulados. Com isso, também evitou a emissão de 35,8 milhões de toneladas de CO2 na geração de eletricidade.

Oportunidade à tecnologia 

Para Rodrigo Sauaia, CEO da ABSOLAR, a fonte solar é uma alavanca para o desenvolvimento social, econômico e ambiental do País, em especial com a oportunidade de uso da tecnologia na habitação de interesse social, como casas populares do programa Minha Casa Minha Vida, bem como em escolas, hospitais, postos de saúde, delegacias, bibliotecas, museus, parques etc.

“O crescimento da fonte solar fortalece a sustentabilidade e pode acelerar ainda mais a atração de investimentos, a geração de empregos e renda, a diversificação da matriz elétrica e a liderança internacional do Brasil”, comenta Sauaia.

Crescimento 

Segundo mapeamento da entidade, em um ano a energia solar cresceu aproximadamente 90%, saltando de 14,2 GW para 27 GW. Desde julho do ano passado, a fonte solar tem crescido, em média, 1 GW por mês (julho: 16,4 GW, agosto: 17,5 GW, setembro: 18,6 GW, outubro: 21,1 GW, novembro: 22 GW, dezembro: 23 GW, janeiro: 24 GW, fevereiro de 2023: 25 GW e março deste ano: 26 GW e agora, ainda em março, alcança os 27 GW).

No segmento de geração própria de energia, são 18,8 GW de potência instalada da fonte solar. Isso equivale a cerca de R$ 96 bilhões em investimentos, R$ 28 bilhões em arrecadação e mais de 563,2 mil empregos acumulados desde 2012, espalhados pelas cinco regiões do Brasil. A tecnologia solar é utilizada atualmente em 99,9 % de todas as conexões de geração própria no País, liderando com folga o segmento.

Grandes usinas 

O Brasil possui cerca de 8,3 GW de potência instalada em usinas solares de grande porte. Desde 2012, as grandes usinas solares já trouxeram ao País cerca de R$ 38,6 bilhões em novos investimentos e mais de 248,1 mil empregos acumulados, além de proporcionarem uma arrecadação aos cofres públicos que supera R$ 12,8 bilhões.

Na visão de Ronaldo Koloszuk, presidente do Conselho de Administração da ABSOLAR, o crescimento acelerado da energia solar é tendência mundial. 

“O Brasil possui um dos melhores recursos solares do planeta, o que abre uma enorme possibilidade para a produção do hidrogênio verde (H2V) mais barato do mundo e o desenvolvimento de novas tecnologias sinérgicas, como o armazenamento de energia e os veículos elétricos”, diz.

Um pulo para a produção de H2V 

Segundo estudo da consultoria Mckinsey, o Brasil poderá ter uma nova matriz elétrica inteira até 2040 destinada à produção do H2V.

 Para tanto, o País deverá receber cerca de US$ 200 bilhões em investimentos no período, como geração de eletricidade, linhas de transmissão, unidades fabris do combustível e estruturas associadas, incluindo terminais portuários, dutos, armazenagem”, acrescenta Koloszuk.

 

*Com informações da Totum Comunicação/ABSOLAR 

 

Please follow and like us:

Luciana Leão

Leia mais →

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

7 − quatro =

Twitter
Visit Us
Follow Me
LinkedIn
Share
Instagram