Unesco propõe regulamentação de IA generativa nas escolas

Orientações divulgadas pela agência da ONU incluem limite de idade de 13 anos para uso das ferramentas de geração de textos e imagens; aplicativo ChatGPT acumula 100 milhões de usuários mensais; agência alerta que setor educacional está despreparado para uma integração ética da tecnologia em rápida evolução.

A integração das ferramentas de inteligência artificial generativa na educação precisa ser regulamentada pelos governos. O alerta é da Organização das Nações Unidas para Educação, Ciência e Cultura, Unesco.

A agência publicou nesta quinta-feira (8) a primeira Orientação Global sobre IA Gerativa na Educação e Pesquisa.

Limite de 13 anos de idade

Estudante da Escola São Francisco de Assis, nas Filipinas, verifica seu smartphone depois das aulas. Foto: Joshua Estey/ UNICEF

O documento estabelece sete passos que os governos devem tomar para regular a IA generativa, tendo em vista o uso ético em instituições de ensino e a adoção de padrões de proteção de dados e privacidade.

A Unesco também menciona um limite de idade de 13 anos para o uso de ferramentas de IA em sala de aula e pede formação de professores sobre o tema.

Para a diretora-geral da agência, Audrey Azoulay, a orientação “ajudará os formuladores de políticas e professores a melhor navegar pelo potencial da IA para o interesse primário dos alunos.

ChatGPT avança sem regulação

A IA generativa atingiu ampla difusão pública em novembro de 2022 com o lançamento do ChatGPT, que se tornou o aplicativo que mais cresce na história.

Com o poder de gerar resultados em texto, imagens, vídeos, músicas e códigos de software, as ferramentas de IA generativa têm implicações de longo alcance para a educação e a pesquisa.

Uma das preocupações da Unesco é que os modelos atuais do ChatGPT são treinados em dados de usuários que refletem os valores e as normas sociais dominantes do Norte Global, piorando assim as divisões no ambiente digital.

Embora o ChatGPT tenha alcançado 100 milhões de usuários ativos mensais em janeiro de 2023, apenas um país criou regulamentação sobre IA generativa.

Sistemas educacionais despreparados

A agência considera que o setor educacional está em grande parte despreparado para a integração ética e pedagógica dessas ferramentas em rápida evolução.

Uma pesquisa global recente da Unesco com mais de 450 escolas e universidades revelou que menos de 10% delas tinham políticas institucionais e/ou orientação formal sobre o uso de aplicações de IA generativa. Em grande parte, a realidade se deve à ausência de regulamentações nacionais.

Em junho de 2023, a agência alertou que o uso de IA generativa nas escolas estava sendo implementado em um ritmo muito rápido, sem o devido debate público, verificações ou regulamentações.

Uma publicação recente revela que o lançamento de um novo livro didático requer mais autorizações do que o uso de ferramentas de IA generativa em sala de aula.

As novas orientações da Unesco foram a Semana de Aprendizagem Digital, que reúne mais de 1 mil participantes para discutir os temas de plataformas públicas de aprendizagem digital e IA generativa na educação, entre outros.

Fonte: ONU NEWS

Please follow and like us:

Redacao EJ

Leia mais →

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

três − 2 =

Twitter
Visit Us
Follow Me
LinkedIn
Share
Instagram