Ponte Salvador-Itaparica em recomposição financeira com capital chinês

A reengenharia financeira é um dos principais fatores para que a Ponte Salvador-Itaparica possa sair, de fato, para o campo, ou seja, o início das obras

A  Revista NORDESTE conversou com o gestor de Comunicação e Relações Institucionais, Carlos Prates, e confirmou que existe a possibilidade de as obras serem iniciadas ainda este ano. Mas, para tanto, é preciso recalcular  os valores do projeto.

Previsão 

Inicialmente as obras, segundo a Concessionária, que tem como principais acionistas os conglomerados chineses CCCC, de Pequim, e CR20, vão iniciar com a dragagem da nova área de acesso ao Porto de Salvador,  com investimento de mais de R$ 100 milhões, além da sondagem na Baía de Todos os Santos, que consiste na investigação e confirmação da geologia do terreno nos locais onde será construída a fundação da ponte.

“Ela é necessária para a confirmação da qualidade das camadas e da resistência do solo”, diz Prates.

Em recente visita à China, o governador Jerônimo Rodrigues esteve com os acionistas da Ponte Salvador-Itaparica, as empresas CCCC (acionista que detém 50%)  e CR20 (acionista que detém os outros 50% da Concessionária).

Os encontros marcaram o avanço nas negociações para a viabilização do projeto com discussões sobre aspectos técnicos e financeiros. 

“Foi uma reunião produtiva, tratamos do aspecto técnico e financeiro. Foi mais uma etapa e podemos acenar na expectativa de que, nos próximos meses, teremos boas novidades fruto dessas reuniões aqui na China”, afirmou Jerônimo Rodrigues.

“Aqui, foi a continuidade do que venho fazendo desde a transição e depois que assumi o governo. Já fomos por diversas vezes ao encontro da CCCC em São Paulo e em Brasília, fazendo esse alinhamento da situação que é uma realidade e que ninguém controla, mas que temos de superar. Eles argumentam que, com a pandemia e a inflação, vai ser preciso reequilibrar os preços e a captação de recursos para o financiamento da Ponte”, explicou Jerônimo Rodrigues.

Entraves nos valores

Os impasses, de acordo com a Concessionária, é a elevação no preço dos materiais de construção e nos custos de financiamento devido à pandemia da Covid-19 e a guerra da Ucrânia.

Tratativas financeiras

Entretanto, alguns passos importantes já foram dados, como por exemplo, o Banco do Nordeste liberou o montante de R$ 3 bilhões para financiar parte do projeto. 

Além desse valor, o Banco Nacional de Desenvolvimento Econômico e Social (BNDES) e um banco Chinês, o Eximbank China também estão em negociação avançada para participar do financiamento da obra.

Mobilidade

O Sistema Rodoviário Ponte Salvador-Ilha de Itaparica criará um novo vetor de desenvolvimento na Bahia, beneficiando 10 milhões de habitantes em cerca de 250 municípios. 

Será a maior ponte da América Latina, com 12.4 km, e no pico da obra, serão gerados cerca de sete mil empregos. Serão implantados mais de 50 programas, englobando temas ambientais, socioculturais, uso e ocupação do solo, habitação, infraestrutura urbana e educação.

*Reportagem produzida para a Revista Nordeste, Edição 196 (maio/2023), pela editora do EJ, Luciana Leão.

Please follow and like us:

Luciana Leão

Leia mais →

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

oito − seis =

Twitter
Visit Us
Follow Me
LinkedIn
Share
Instagram