Holanda e Recife firmam cooperação técnica para mitigar desastres naturais

O Governo holandês e a Prefeitura do Recife deram início a uma cooperação técnica com objetivo de analisar soluções que possam mitigar problemas ocasionados pelas chuvas  e o aumento do nível do mar. Segundo estudos da Organização das Nações Unidas (ONU) o agravamento das mudanças climáticas é uma preocupação para cidades litorâneas como o Recife e que possuem uma geografia vulnerável. Tal pesquisa aponta a capital pernambucana como a 16ª cidade mais vulnerável do mundo aos desastres naturais.

Em março de 2022, 132 pessoas morreram no Recife e Região Metropolitana ocasionadas por deslizamento de barreiras, em áreas de morros. Nesta segunda-feira (06), fortes chuvas que atingiram a capital e RMR ocasionaram transtornos à população, principalmente, as que vivem em regiões onde o escoamento das águas e a falta de saneamento básico agravam a situação. Em Olinda, no bairro de Águas Compridas, uma barreira deslizou , e causou a morte de um jovem de 19 anos.

“Nosso foco inicial são projetos para contenção e preparação da cidade para o eventual aumento do nível do mar e como isso impacta na drenagem da cidade. A gente fez essa iniciativa desde o ano passado e culminou que a ocorrência da missão é no momento onde o Recife é acometido por uma grande chuva. Os especialistas estão vendo, na prática, como é um fenômeno de chuva, que, em seis horas, passou de 146mm, e como a gente vai poder mitigar isso no futuro. Eu agradeço mais uma vez a disponibilidade do governo holandês”, ressaltou o prefeito do Recife, destacando que a Holanda é um país reconhecido mundialmente por sua excelência na gestão de águas.

Visitas in loco

Até a próxima sexta-feira (10), consultores da DRR Team (Dutch Risk Reduction Team), consultoria ligada ao governo holandês especialista no desenvolvimento de projetos de gestão de água, visitarão diversas localidades e obras em execução no município, a exemplo da requalificação do sistema de drenagem na Rua da Concórdia, no Centro, e Avenida Dois Rios, no Ibura, para analisar os problemas e estruturar estratégias de intervenção de curto, médio e longo prazos, de modo a tornar o sistema de drenagem ainda mais eficiente, minimizando os impactos das precipitações na cidade.

Durante as visitas in loco, os especialistas holandeses vão se somar às equipes da Prefeitura e analisar os estudos que estão em execução, propor possíveis estratégias de intervenções no Recife e observar a gestão de bacias hidrográficas, de risco de inundações, os alertas precoces de inundação, a governança e qualidade da água, bem como o tratamento de águas residuais.

Relatório

A expectativa é que, dentro de um mês, a consultoria apresente aos técnicos da Prefeitura do Recife o relatório com recomendações de ações mitigadoras e estruturantes para minimizar os impactos do aumento do nível do mar e das mudanças climáticas.

“Como Países Baixos, estamos literalmente abaixo do nível do mar e temos vasta experiência em desenvolver técnicas e práticas de como gerenciar água e os efeitos das mudanças climáticas. Temos aqui um time de especialistas holandeses para ajudar a desenhar estratégias para o futuro e assegurar que a cidade e população estejam seguras e tenham um futuro sustentável”, explicou o embaixador dos Países Baixos no Brasil, André Driessen.

*Com informações da Prefeitura da Cidade do Recife

Please follow and like us:

Luciana Leão

Leia mais →

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

quatro × três =

Twitter
Visit Us
Follow Me
LinkedIn
Share
Instagram