Empresas já podem enviar propostas para indústria de H2V em Suape

O Complexo Industrial Portuário de Suape deu início aos trâmites oficiais para a implantação de uma planta industrial produtora de hidrogênio verde (H2V) ao publicar nesta sexta-feira (26) um chamamento público para empresas interessadas no arrendamento de área destinada à indústria. Edital está disponível no site da estatal pernambucana e será publicado nos próximos dias no Diário Oficial do Estado. As empresas têm até o dia 27 de setembro para encaminhar suas propostas.

O investimento total estimado é de aproximadamente US$ 3,5 bilhões, com 1 GW (gigawatt) de capacidade de eletrólise e área de 72,5963 hectares. O arrendamento será por 25 anos, sendo possível prorrogação por igual período. A área situa-se fora da poligonal do Porto Organizado, sendo administrada diretamente pela estatal portuária.

Na futura fábrica, o H2V, o combustível do futuro, será produzido a partir da dessalinização da água do mar. O chamamento público também contempla duas unidades industriais produtoras de hidrogênio azul a partir da reforma de vapor metano como insumo para posterior produção de amônia em outras duas unidades a serem implantadas também em Suape.

“O hidrogênio verde é uma tendência mundial, com enorme potencial de investimentos para o país. Trazer para Suape esse tipo de empreendimento significa abrir um leque repleto de oportunidades para fomentar a cadeia produtiva, novos empregos e garantir a sustentabilidade do meio ambiente”, afirma o secretário de Desenvolvimento Econômico do Estado de Pernambuco, Geraldo Julio.

Com alto potencial para geração de energia sem emissão de gás carbônico, o hidrogênio verde é obtido a partir da usina de eletrólise, que separa o oxigênio e o hidrogênio da água. É chamado de verde porque a unidade que o produz funciona a partir de fontes de energia 100% renováveis.

O H2V é insumo para muitas indústrias, principalmente no continente europeu, já existindo até como combustível para veículos. Também é usado para produzir amônia, um dos principais fertilizantes para o agronegócio, o qual o Brasil é um dos mais importante produtores mundiais.

Roberto Gusmão: “Porto tem muito potencial para se tornar um dos mais importantes atracadouros do continente e do mundo”. Foto/Divulgação

Grandes empreendimentos já demonstraram interesse na área e alguns Memorandos de Entendimento foram assinados com a estatal. “Suape é um grande condomínio que agrega diversas oportunidades de negócios promissores. Atualmente, são 224 empresas embarcadas na zona industrial, gerando mais de 40 mil empregos e renda para a população. A chegada de uma planta desse porte, além reforçar nosso compromisso com a sustentabilidade, mostra que o porto tem muito potencial para se tornar um dos mais importantes atracadouros do continente e do mundo”, afirma o diretor-presidente de Suape, Roberto Gusmão.

Techub

Recentemente, o Complexo Industrial Portuário de Suape lançou o TechHub para produção, transporte, armazenamento e gestão de hidrogênio verde (H2V) na zona industrial portuária. A iniciativa, em parceria com a CTG Brasil, Departamento Nacional do Senai, Senai Pernambuco e o Governo do Estado, tem objetivo de tornar Suape um espaço de pesquisa, desenvolvimento e inovação com foco no combustível do futuro. Já há uma área destinada para implantação do empreendimento de pesquisas na área portuária. Os investimentos previstos são da ordem de R$ 45 milhões.

“Com o lançamento do Tech Hub, demos um passo importantíssimo para transformar o complexo em um laboratório vivo de pesquisa, desenvolvimento e inovação com foco no combustível sustentável. E, agora, com esse chamamento público, o complexo estará na vanguarda da produção de energia limpa, atraindo players de peso nos cenários nacional e internacional”, pontua o diretor de Meio Ambiente e Sustentabilidade da estatal portuária, Carlos Cavalcanti.

Sustentabilidade

Esse empreendimento faz parte de um pacote de projetos lançados pela estatal portuária desde o ano passado visando o crescimento sustentável do complexo, a exemplo de um terminal de GLP (gás de cozinha), de um terminal de regaseificação (Regás), hub de veículos, instalação de um terminal de minério de ferro através da viabilização da Ferrovia do Sertão (ligará Suape a Curral Novo, no Piauí), implantação de uma nova unidade da Blau Farmacêutica, entre outros empreendimentos que vão garantir o desenvolvimento econômico e a geração de milhares de empregos.

“Tudo isso faz parte de um novo momento em que o porto está vivendo e, em breve, vamos celebrar a retomada da autonomia portuária, que deverá acontecer até o final do ano” finaliza o diretor-presidente de Suape, Roberto Gusmão.

*Com informações da Ascom Suape/ André Malagueta

 

Please follow and like us:

Redacao EJ

Leia mais →

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

14 + quinze =

Twitter
Visit Us
Follow Me
LinkedIn
Share
Instagram