De Teresina, brechó de luxo cresce e chega a mais capitais

O maior brechó de luxo do Nordeste e um dos mais importantes do Brasil, com lojas físicas em Teresina (PI), São Luís (MA) e São Paulo (SP) se expande e chega a mais duas capitais no Nordeste: Recife e João Pessoa

Com investimento de R $900 mil e uma parceria com empreendedores locais, o Desapega que a vida carrega, maior brechó de luxo do Nordeste e um dos mais importantes do Brasil, está chegando ao Recife (PE) em maio e em João Pessoa (PB), ainda no primeiro semestre deste ano.

A loja no Recife tem um investimento de R$ 700 mil – incluindo a reforma da estrutura e estoque- e surgiu a partir da conversão de bandeira de um brechó de luxo que já existia.

O grupo Desapega, que é comandado por Natália Martinhão, será sócio do novo negócio, em um espaço de 130 m2 numa das avenidas mais movimentadas no bairro das Graças, a Rui Barbosa, zona norte da cidade, com capacidade de expansão física, e contará com todo o acervo das unidades da rede Desapega.

A ideia é que os clientes do Recife não só frequentem a loja física, mas também integrem todo o ecossistema de vendas do Desapega, seja por meio dos grupos de Whatsapp, e compras pelo e-commerce, e se tornem fornecedores da marca, afinal, a proposta de um brechó é alimentar o mercado de moda circular.

“Muitos de nossos clientes também são nossos fornecedores, porque têm peças de desapego em casa”, comenta a CEO, Natália Martinhão.

Mercado em crescimento

A expansão da marca não é à toa. Os dados do mercado de moda circular comprovam seu crescimento. Para se ter uma ideia, segundo projeção do Boston Consulting Group (BCG), o segmento de moda circular deve aumentar entre 15% e 20% até 2030 no Brasil.

Em mercados estrangeiros, onde o consumo de itens de segunda mão já é realidade há anos, a projeção é de crescimento de 20% nos próximos três anos.

Multicanais de varejo

O Desapega que a vida carrega possui canais de varejo formado por lojas físicas em Teresina (PI), São Luís (MA) e São Paulo (SP), além de um e-commerce, redes sociais e de lojas itinerantes, chamadas de pop-up stores, que percorrem diversas cidades brasileiras.

Como, tradicionalmente, suas vendas se iniciaram nas redes sociais, especialmente em grupos de Whatsapp, essas mídias são importantes canais de varejo da marca, sendo consideradas de extrema relevância para a empresa.

Uma empresa em construção

Natália Martinhão costuma dizer que o Desapega é ‘uma empresa em construção’. Isso porque seu trabalho reverbera e, por meio dele, surgem oportunidades que vão sendo transformadas em ações.

Eu comecei vendendo minhas próprias roupas. Depois, foi a vez de vender roupas de minhas amigas. Parti para a formalização da empresa, a loja física, a segunda loja e, a cada passo, surgem parceiros e oportunidades. Por isso, a construção se faz de maneira que eu traço um plano, mas ele pode ser postergado ou interrompido por uma oportunidade antecipada”, comenta.

Assim foi com Recife. “Já tínhamos a intenção de crescer no Nordeste, que é a ‘nossa casa’. Mas também pensamos muito em nos firmar no Rio de Janeiro, outro mercado potencial para nosso negócio. Não descartamos a vontade e a necessidade de ir para o Rio, mas as capitais nordestinas (uma nova loja em João Pessoa também está em andamento) surgiram antes e apostamos nelas”, enfatiza.

Onde tudo começou

O brechó nasceu em Teresina (PI), há seis anos, com loja física e e-commerce. Pouco tempo depois, inaugurou uma loja física também em São Luís (MA).

O sucesso da empreitada fez com que a empreendedora Natália Martinhão tivesse a ideia de abrir um showroom em São Paulo, que é a capital onde a moda circular se faz mais presente.

“Captamos mais peças para venda na capital paulista, tanto em quantidade quanto em qualidade”, diz ela. Agora, o Desapega que a vida carrega tem a intenção de continuar atuando para captar peças em todo o Brasil e fazer com que a moda realmente circule.

Assim, no segundo semestre de 2022, o Desapega que a vida carrega chegou a São Paulo, mudando totalmente seu posicionamento e deixando de ser apenas o maior brechó de luxo do Nordeste para figurar entre os mais importantes brechós de luxo do Brasil.

“A ideia é a de fazer com que o mercado de luxo na moda circular se movimente. Queremos que as pessoas entendam que é atual, moderno, vantajoso, inteligente, ecológico e econômico usar produtos de brechó. Vamos dar uma nova chance a uma peça linda, de qualidade, que está sem uso? Falem conosco!”, incentiva.

Características do empreendimento

Da curadoria de moda à logística, passando pela contabilidade, jurídico, gestão de pessoas e marketing, tudo é organizado para que funcione adequadamente – e o resultado se apresenta em números.

Em 2022, a marca faturou R$ 3,5 milhões, resultado 70% superior ao ano anterior.“Nossa entrada na capital paulista fez com que atingíssemos mais público vendedor e comprador – dois elos importantes do nosso negócio”, enfatiza Martinhão.

Acervo circular

O Desapega que a vida carrega tem um acervo de 30 mil peças, aproximadamente. São roupas femininas e masculinas, calçados, bolsas e acessórios (como óculos, cintos, lenços e chapéus) de grifes variadas, das mais cobiçadas e de alto valor até as mais acessíveis.

O preço das peças pode variar de R$ 500 a R$ 130 mil, dependendo da grife e raridade do produto, tendo bolsas, por exemplo, que chegam a custar mais do que uma nova, vendida em lojas, por sua raridade.

Logística

A logística utilizada pelo brechó é própria, para garantir que o cliente receba o produto em condições ideais – até porque aquele produto é único e precisa de cuidados especiais.

“Quando uma bolsa chega, ela é vendida em minutos. Nosso marketing, nas redes sociais, é muito forte e os clientes sabem que os produtos têm garantia de originalidade e qualidade”, enfatiza Natália Martinhão.

São 300 mil clientes cadastrados, que podem receber as novidades que chegam diariamente – e muitos têm seus vendedores preferidos no radar. São comercializadas mais de 200 grifes pelo brechó.

Perspectivas para 2023

Além do Recife e João Pessoa, Natália Martinhão e sua equipe preparam-se para firmar novas parcerias e viajar pelo Brasil com o Desapega que a vida carrega, no formato de pop-up stores.

A primeira investida neste formato ocorreu em janeiro, no Rio de Janeiro: o Shopping Recreio recebeu, entre os dias 18 e 22, uma edição do Desapega que a vida carrega com mais de 3 mil peças. Com isso, Natália Martinhão acredita que dobrará o tamanho de seu empreendimento em 2023.

“A Moda Circular não é apenas uma tendência. É um segmento consolidado e que foi adotado por todas as pessoas que valorizam peças atemporais, luxuosas e de bom gosto. Renovar o guarda-roupa de forma criativa requer conhecimento e a curadoria de moda é uma prestação de serviços utilíssima e inteligente”, finaliza.

 

*Conteúdo publicado originalmente na edição 195ª da Revista Nordeste,  com produção do Escritório de Jornalismo.

Please follow and like us:

Luciana Leão

Leia mais →

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

dois × 3 =

Twitter
Visit Us
Follow Me
LinkedIn
Share
Instagram