Projeto incentiva conhecer espécies no Parque Dois Irmãos

Conhecer as espécies que vivem no entorno da Mata Atlântica, no Parque de Dois Irmãos, na zona Oeste do Recife, é uma das ações de comunicação propostas pela Secretaria de Meio Ambiente do Estado (Semas-PE).

Com essa iniciativa, a Semas e o Parque Dois Irmãos estão trazendo a história de espécies de animais de vida livre que habitam o trecho de Mata Atlântica ao redor do parque.

Nessa semana, a descoberta é a Borboleta do Maracujá ou também conhecida pelo nome Dione Juno, que tem seu habitat nas florestas tropicais, áreas de mata ciliar e jardins floridos na América Central e na América do Sul.

Papel no ecossistema

Segundo a gerente geral do Parque de Dois Irmãos, Marina Falcão, a espécie é bem reconhecida por sua aparência marcante e pelo seu importante papel para o ecossistema, a borboleta chama a atenção em meio ao verde das florestas.

“Sua presença ou ausência é um indicativo da saúde ambiental, sendo altamente sensível a mudanças climáticas, à poluição e à perda de habitat. Sua presença é uma indicação de um ambiente equilibrado, como outras borboletas ”, afirma Marina Falcão.

Além disso, a polinização realizada por essas borboletas contribui para a conservação do meio ambiente, facilitando a reprodução de diversas plantas e contribuindo para a manutenção da diversidade e do equilíbrio nos ecossistemas em que habitam.

Cores e ciclo de vida

A borboleta de maracujá possui uma coloração laranja vibrante quando vista de cima. Já quando vista por baixo, exibe um padrão de manchas em prata que brilham quando expostas à luz.

O ciclo de vida da borboleta do maracujá passa por diferentes estágios. Começa quando a fêmea deposita seus ovos em plantas selecionadas, conhecidas como plantas hospedeiras.

Após um tempo, surgem larvas desses ovos que se alimentam das plantas, crescem e se desenvolvem até o momento em que estão prontas para a metamorfose, chamada de crisálida.

Durante essa fase, as larvas passam por uma preparação para a transformação completa. Esse estágio representa uma mudança, em que o corpo da larva é reestruturado e rearranjado para dar lugar a uma borboleta adulta. E por fim, as borboletas emergem das crisálidas, prontas para voar e dar início a um novo ciclo de vida.

 

 

*Toda semana, a Semas e o Parque Dois Irmãos estão trazendo a história de espécies de animais de vida livre que habitam o trecho de Mata Atlântica ao redor do parque.

 

Please follow and like us:

Redacao EJ

Leia mais →

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

dois × cinco =

Twitter
Visit Us
Follow Me
LinkedIn
Share
Instagram