Governo de Pernambuco cria selo para os produtos da agricultura familiar

Começou nesta quinta-feira (19) a 1ª Feira Integrada de Produtos da Agricultura Familiar (Fipagri).  A iniciativa reúne mais de 500 produtos em uma estrutura com 200 estandes para que os agricultores possam comercializar os itens.
 Na ocasião, a governadora Raquel Lyra anunciou a criação de um selo da agricultura familiar, que será construído pelo Governo através da Secretaria de Desenvolvimento Agrário, Agricultura, Pecuária e Pesca.
Governadora aproveitou para degustar alguns produtos. Foto: Hesíodo Góes/ Secom
“Hoje a gente anuncia um convênio com a Associação Municipalista de Pernambuco (Amupe), o IPA, a Adagro (Agência de Defesa e Fiscalização Agropecuária do Estado de Pernambuco) e a Secretaria de Agricultura do Estado, para permitir que a gente possa certificar os produtos da agricultura familiar e, com isso, ter um selo de inspeção sanitária que permita uma melhor comercialização dentro do Estado e fora de Pernambuco. Precisamos enxergar onde as pessoas trabalham e fortalecer o trabalho delas”, destacou a governadora Raquel Lyra.
Para o secretária de Desenvolvimento Agrário, Agricultura, Pecuária e Pesca, Ellen Viégas, a criação de um selo organiza o setor.  “Ele será um selo da agricultura familiar que vai identificar os produtos oriundos de um agricultor ou agricultora familiar, um produto genuíno, de qualidade, que foi gerado de uma maneira agroecológica ou orgânica”, frisou.

Participantes

A Fipagri, que conta com produtores de cerca de 120 municípios, é promovida pelo governo estadual e surgiu para dar ao agricultor familiar a oportunidade de apresentar seus produtos para o grande público, abrindo uma janela de comercialização.
“Na feira encontramos expositores de Pernambuco inteiro através da presença de cada região com o seu arranjo produtivo local. É um espaço para promoção da agricultura com base na agricultura familiar e produtos mais saudáveis”, registrou a governadora, que conheceu todas as áreas da feira e cumprimentou diversos agricultores.
Raquel Lyra em visita a um dos 500 estandes na Fipagri. Foto: Hesíodo Góes_Secom
O produtor Zé Nilton Coelho, do município de Afrânio, no Sertão, agradeceu a oportunidade de poder vender seus produtos durante a feira.
Na sua roça perto de casa, ele comercializa mel e queijos. “Aqui consigo expor todos os meus produtos na capital do Estado, assim como todos os produtores. Isso fortalece a agricultura familiar, que sempre precisa de apoio para avançar”, disse o produtor.
Segundo o presidente do IPA, Joaquim Neto, são esperadas aproximadamente dez mil pessoas a cada dia da feira, que acontece até domingo, 22 de outubro, das 10h às 20h. “A Fipagri é uma empresa que já nasceu grande, uma oportunidade importante do produtor vender diretamente para o consumidor sem intermediário. Além disso, os agricultores podem fechar vendas futuras para depois da feira”, pontuou Joaquim Neto.
Alguns dos itens comercializados na feira são legumes, geleia de mandacaru, óleo de gergelim, café de açaí, cajuína, feijão crioulo, queijos de leite de cabra, além de hortaliças, polpas de frutas, compotas, entre outros. O evento também conta com espaço para alimentação.
 
Please follow and like us:

Redacao EJ

Leia mais →

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

um × 5 =

Twitter
Visit Us
Follow Me
LinkedIn
Share
Instagram