23ª Fenearte faz parceria para reciclar resíduos sólidos

Com mais de cinco mil expositores espalhados em uma área de cerca de 25 mil m2 do pavilhão do Centro de Convenções de Pernambuco (Cecon-PE), é esperado na 23ª Fenearte um público de mais de 300 mil pessoas.

Com isso, cresce também a estimativa de geração de lixo, que pode chegar à casa de 1 tonelada por dia, em média, entre os materiais descartados pelos expositores e os produzidos pelos frequentadores.

“Não há como um evento desse porte não ter um olhar e ações concretas ligadas à sustentabilidade. Além da parceria com a Semas, buscamos outras iniciativas que, em conjunto, nos trarão um diagnóstico mais completo do que podemos estruturar daqui pra frente. Teremos, por exemplo, uma pesquisa com um viés mais social, que buscará entender as condições de trabalho dos artesãos no intuito de melhorar sua estadia aqui, durante o evento. Cuidar das relações e das pessoas também está dentro dessa diretriz”, diz Camila Bandeira, diretora-executiva da 23ª Fenearte.

Parceria para reciclar

A Secretaria Executiva de Sustentabilidade da Semas-PE articulou a ação junto à Adepe para que essas milhares de toneladas de resíduos sólidos virassem negócio.

Mulheres fazem triagem dos resíduos sólidos durante os 12 dias de feira. Foto: Tarcísio Augusto

Foi assim que a Cooperativa de Mulheres Palha de Arroz foi convidada, por mais um ano, a realizar um trabalho gigante de coleta, triagem e reaproveitamento do material jogado fora, num processo de reciclagem criativa que transforma, literalmente, lixo em dinheiro, para essas mulheres.

Para a Adepe, além de celebrar a criatividade e a habilidade dos talentosos artesãos de Pernambuco, a Fenearte tem promovido a destinação correta de resíduos que iriam para aterros e gerando renda para os profissionais que trabalham com reciclagem.

“Essa ação da Semas é muito emblemática por estarmos tratando da maior Feira de Artesanato da América Latina. E quando falamos em artesanato e reciclagem, estamos também falando de poder de transformação”, afirma a secretária executiva de Sustentabilidade da Semas-PE, Karla Godoy.

Ela lembra que, ao promover a reciclagem em eventos públicos, estamos incentivando a consciência ambiental e a sustentabilidade, promovendo a economia circular e criando oportunidades para novos negócios.

Lixo na lixeira

Grande mural exposto explica a importância de separação do lixo. Foto: Tarcísio Augusto

A ação, que conta com a parceria dos ambientalistas Daniel Pernambucano de Mello e Bruna Alburquerque, precisa do engajamento de todos os visitantes da Fenearte.

Nas lixeiras espalhadas pelos corredores da feira, os frequentadores terão a oportunidade de aprender sobre como devem fazer o descarte correto do lixo.

Os cestos estão sinalizados com as placas “lixo orgânico”, “rejeitos”, “recicláveis” e “lixo perigoso”, indicando que tipos de produtos devem ser descartados em cada um deles. E todo o trabalho está sendo monitorado diariamente.

Um painel gigantesco sobre como fazer o descarte adequado dos resíduos também está estampado na Fenearte, promovendo o trabalho de educação ambiental. E, nos fins de semana, há atividades educativas e interativas com as crianças e adolescentes.

“Mesmo sem a feira ter acabado, já triplicamos a quantidade de material reciclado em relação ao ano passado. Convido a todos a se engajar nessa causa e contribuir para um futuro mais sustentável. Vamos aproveitar esse evento para apreciar a beleza do artesanato e também para refletir sobre nosso papel como agentes de transformação!”, provoca a secretária executiva da Semas.

Para quem quiser acompanhar em tempo real a arrecadação, é só acessar este link: https://www.verdiera.eco.br/fenearte

 

*Redação EJ com informações da Semas-PE

Fotos: Tarcísio Augusto/ GCom Semas-PE

 

Please follow and like us:

Redacao EJ

Leia mais →

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

nove − 3 =

Twitter
Visit Us
Follow Me
LinkedIn
Share
Instagram