Agrovale ajuda a combater incêndios na Caatinga e vai contribuir com o repovoamento da flora nativa

Este último final de semana foi de muito trabalho para apagar incêndios de grandes proporcões, que destruíram vastas áreas de vejetação de Caatinga nos municípios de Juazeiro e Sobradinho, no norte baiano, região do Vale do São Francisco. A Brigada de Combate a Incêndios da Agrovale, um dos maiores grupos no segmento de agroindústria que atua na região, ajudou a apagar três incêndios. As chamas, segundo relato da empresa, começaram na quinta-feira (28), nas localidades de Lagoa do Boi e Angico, distrito de Pinhões, e no Campo dos Cavalos (Salitre), zona rural de Juazeiro.

Áreas atingidas chegaram a dois municípios do norte baiano. Foto: Clas Comunicação

No mesmo dia, as equipes do 9° Grupamento de Bombeiros Militar de Juazeiro (9º GBM) e da Agrovale, também se deslocaram até o interior do município de Sobradinho, onde ajudaram a debelar o fogo que já desesperava os moradores. Mas, tendo em vista a grande quantidade de focos em lugares distantes, íngremes e de difícil acesso, onde as viaturas de grande porte não podiam alcançar, o fogo persistiu até o final da tarde de domingo (31), em localidades como o Campo dos Cavalos. Na manhã desta segunda-feira, a situação já estava controlada e sob monitoramento.

De acordo com o comandante do Corpo de Bombeiros, Major Eminelvino da Fonseca Soares Neto, durante o combate aos incêndios não foram registrados acidentes nem feridos. “Utilizamos viaturas pequenas e o uso da bomba-costal com a efetiva participação dos moradores, da prefeitura e Defesa Civil de Juazeiro, através do seu coordenador, Ramiro Cordeiro, e de empresas a exemplo da Agrovale e da Mineração Caraíba”, ressaltou. O comandante acrescentou ainda, que até o momento, não foram identificadas as causas dos incêndios nas três localidades.

Segundo o gerente Administrativo e RH da Agrovale, Marcos Rocha, a empresa foi informada dos sinistros através de moradores da região e da Defesa Civil, e imediatamente acionou a Brigada de Combate a Incêndios. “Com uma equipe de profissionais, carros-pipa, máquinas do tipo patrol e abafadores, a Brigada forneceu água para abastecer as bombas costais, auxiliando o Corpo de Bombeiros na construção de uma linha molhada na base do contra fogo, além de providenciar alimentação e água gelada para os combatentes do fogo e orientar a população com a melhor estratégia para esse tipo de sinistro”, frisou. Marcos Rocha concluiu, salientando que a ajuda às comunidades atingidas por incêndios faz parte do projeto de responsabilidade social e ambiental da empresa.

Repovoamento

De acordo com o departamento de Meio Ambiente da Agrovale, a empresa vai começar, já nesta semana, um plano de recuperação ecológica destas áreas, junto às comunidades, através do repovoamento de plantas nativas da Caatinga a exemplo de umbuzeiro, ingazeiro, ipê, jatobá e umburana.

“Preservar a Caatinga, único bioma exclusivamente brasileiro, é uma das formas de proteger valores ecológicos, e também econômicos, únicos e endêmicos.Integrando ações que visem o equilíbrio entre preservação ambiental e geração de renda, objetivando a construção de um desenvolvimento sustentável para o bem estar e a permanência das comunidades rurais e dos povos originários desse ecossistema”, concluiu a coordenadora de Meio Ambiente da Agrovale, Thaisi Tavares.

Please follow and like us:

Redacao EJ

Leia mais →

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

vinte − cinco =

Twitter
Visit Us
Follow Me
LinkedIn
Share
Instagram