Será? Copa do Qatar quer ser a 1ª edição neutra de carbono

A Copa do Mundo Qatar promete ser a primeira edição neutra em carbono da história. 

Mas, nem tudo é permitido fazer. A temática de costumes é um diferencial e impõe punição.

Além disso, a violação dos direitos humanos é alvo de intensos protestos e denúncias.

Aí, se questiona, até onde pode ser considerada sustentável, se não existe liberdade, e a carta universal dos direitos humanos é desrespeitada?

O Catar e os direitos humanos

O Catar ocupa uma área minúscula, de apenas 11,5 mil km², e é um dos Estados mais ricos da região, com suas  reservas de petróleo e gás natural. Dos seus 2,8 milhões de habitantes, estima-se que 2,2 milhões sejam trabalhadores estrangeiros, que representam 78,6% da população total (Dados do Banco Mundial, 2020).

Segundo reportagem da DW, de 2006 até 2020, a população praticamente triplicou por conta da vinda de trabalhadores estrangeiros alocados em boa parte nas obras da construção civil.

Denúncias

Porém, denúncias apontam para  jornadas de trabalho muito longas, acomodações insalubres e anti-higiênicas, insegurança jurídica e extrema dependência do empregador.

A ONG Anistia Internacional publicou um relatório em agosto de 2021, e denunciou que morreram aproximadamente 15 mil trabalhadores estrangeiros entre 2010 e 2019, sendo que em 70% dos casos a causa mortis não foi devidamente esclarecida. Lá, no Catar, a Lei para estrangeiros não exige que haja informação da causa da morte.

O Comitê Organizador local da Copa do Mundo alega, entretanto, que até fevereiro de 2021 morreram apenas 34 trabalhadores em obras da construção dos estádios padrão Fifa.

A Copa do Catar e o meio ambiente

Para a temática de sustentabilidade, relacionada às questões de meio ambiente e emissão de gases de efeito estufa prometem ser os primeiros, de fato. Em Tecnologia, idem. Digam os VARs e a bola “Al Rihla”.

Objetivo ODS carbono neutro

A formalização do objetivo aconteceu em janeiro de 2020, quando o Comitê Supremo para Entrega e Legado (SC), a FIFA e a FIFA World Cup Qatar 2022 LLC (Q22) publicaram a Estratégia de Sustentabilidade da Copa do Mundo do Catar em 2022.

Para isso, todos os projetos de infraestrutura, incluindo os oito estádios que serão usados ​​no evento, a partir deste domingo (20) devem atender a padrões de sustentabilidade.

A Mobilidade no Catar

Uma das vantagens do Catar é ser compacto.Como a maior distância entre as acomodações e os estádios é de apenas 75 km, os torcedores terão a oportunidade de assistir a pelo menos dois jogos em um único dia durante a fase de grupos.

A redução das emissões de carbono vai acontecer ainda pelo uso de trens e ônibus com pegada reduzida de carbono. Essa meta também pautou a construção dos oito estádios da Copa do Mundo do Catar.

Estádios desmontáveis

Estádios foram projetados para usar energia limpa, reuso da água e tecnologia para refrigeração. Foto: Fifa World Cup

Durante os projetos e construções dos estádios, alvo de denúncias de direitos humanos, foi dada atenção, sempre que possível, ao menor consumo de energia e água e na reutilização e reciclagem de água e materiais, segundo os organizadores do evento.

O mesmo aconteceu com sistemas de refrigeração altamente eficientes e o uso de energia renovável para iluminação em alguns estádios, criando projetos que permitem luz natural.

O processo ainda envolveu o plantio de plantas nativas nos parques dos estádios e estratégias eficientes de gestão de resíduos.

A Bola “Al Rihla”

Bola “Al Rihla” foi criada pela Adidas e tem suas cores pintadas com tintas à base de água, além de outras tecnologias. Foto: Reprodução Internet

O nome da esperada bola da Copa do Mundo de 2022 é “Al Rihla”, em uma tradução livre significa “A Jornada”. A bola foi lançada em março de 2022, criada pela empresa Adidas. Além de ser usada durante todos os jogos oficiais do Mundial 2022, a empresa criadora também afirmou que a bola  viajará por cerca de dez cidades ao redor do mundo com o único objetivo de promover iniciativas sociais.

Segundo as informações da Adidas, 1% do valor de todas das vendas líquidas será utilizado para apoiar o movimento Common Goal. Essa é a primeira vez em que uma bola da Copa vai poder contribuir de forma direta para arrecadar fundos sociais. Vamos acompanhar.

Vale ressaltar também que a Al Rihla foi desenvolvida de acordo com todos os princípios da sustentabilidade. Por exemplo, todas as tintas e colas que foram usadas são à base de água.

E os costumes?

Lá, as regras são outras e passíveis de punições.

  1. Cumprimentar com aperto de mão
  2. Fotografar sem autorização
  3. Usar roupas ousadas
  4. Fumar na rua
  5. Comprar ou usar entorpecentes
  6. Falar palavrão e fazer gestos obscenos
  7. Jogar lixo em lugares impróprios
  8. Beber só em lugares autorizados
  9. Qualquer manifestação afetuosa em público é proibida

Roupas

No Qatar, as regras de vestimentas não valem só para mulheres, também para os homens. As mulheres usam túnica preta (abaia) com lenço (hijab) e os homens usam túnica branca (thoub).

No caso dos estrangeiros não há esse rigor, mas todos devem se vestir com trajes discretos. As mulheres devem vestir roupas que cubram os joelhos, ombros, colo e barriga. Roupas que marquem o corpo ou transparentes são reprovadas e passíveis de punição.

E reforçando: as questões de direitos humanos, graves, devem ser investigadas e punidas, independente, da Copa. Cabe aos órgãos responsáveis fazê-los.

E torcer para que tudo corra bem. Em paz.

 

 

Please follow and like us:

Luciana Leão

Leia mais →

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

dez + 17 =

Twitter
Visit Us
Follow Me
LinkedIn
Share
Instagram