A literatura dos “nordestes”: livros para conhecer e homenagear a região e seus escritores

Em alusão ao Dia Nacional do Nordestino (08/10),  uma lista de obras de ficção, autobiografia, romance e poesia que atravessam diferentes vivências e inspirações nos estados do Nordeste.

Nove estados com diferentes sotaques, contextos socioculturais e biomas formam o Nordeste – já percebido por muitos no plural, como “nordestes”, na intenção de reivindicar a diversidade de vivências existentes na região.

E, para celebrar esta multiplicidade no Dia Nacional do Nordestino (08/10), a lista abaixo contém indicações literárias com autores nascidos na região e obras inspiradas nas culturas regionais ou a partir delas.

Alguns títulos ainda inéditos, como o do mineiro-pernambucano, Paulo Roberto Cannizzaro, “Onde o céu toca o coração”, editora portuguesa Astrolábio, com previsão de lançamento no Recife, ainda este ano.

Onde o céu toca o coração

Paulo Roberto Cannizzaro é natural de Juiz de Fora (MG), filho de imigrantes italianos de Agrigento, na Sicília. Adotou o Recife como sua moradia, desde jovem, com seus pais.

O novo romance,  entre dezenas de obras escritas pelo também  poeta, advogado, contador , administrador e consultor empresarial para empresas, “Onde o céu toca o coração”  é  um livro que elege a fé,  as experiências religiosas e a paixão das peregrinações como tema central.

Os peregrinos desse romance estão em busca da espiritualidade, aptos a exorcizar suas dores pessoais  e devotar seus corações,  as suas crenças,  seja no judaísmo,  cristianismo,  islamismo, budismo, hinduísmo , ou qualquer outro credo.

Uma história mágica ambientada numa cidade fictícia, chamada  Vale da Lussuria, onde ninguém acredita que Deus existe, porém os peregrinos sim.

(Autor: Paulo Roberto Cannizzaro | Onde encontrar: Astrolábio Edições)

A ponte, memórias de lírios d’água

Margareth Diniz nasceu em Naru, povoado do Maranhão, e vive no Amapá. A partir das experiências nestas regiões, ela escreveu A ponte, memórias de lírios d’água, que trata sobre a realidade das pessoas que moram nas áreas de ressaca do Macapá. Livro aborda questões como migração nordestina para o Norte do país, vivências ribeirinhas, racismo, machismo e desigualdades socioeconômicas.

(Autora: Margareth Diniz | Onde encontrar: Amazon)

 

Antagônicos

Neste novo romance do escritor e professor sergipano Aroldo Veiga, o leitor vai conhecer as trágicas histórias de Cainã e Cristiano, dois jovens de classes sociais totalmente diferentes e que disputam o coração de Mariana, a bela e cativante sobrinha do bispo.

A narrativa, ambientada entre Aracaju, cidade natal do autor, e São Paulo, se desenvolve durante duas décadas entre os anos 1980 e 2000. É uma obra cheia de reviravoltas sobre o amor e sociedade brasileira.

(Autor: Aroldo Veiga | Editora: Ases da Leitura | Onde encontrar: Amazon)

Estrada dos refúgios

Se você gosta de histórias de suspense ambientadas no Brasil, esse livro é pra você! Em Estrada dos refúgios, a escritora Bettina Winkler traz para o enredo um estado brasileiro que conhece muito bem, a Bahia, sua terra natal.

Nesta obra de suspense para jovens adultos, o leitor descobrirá o poder da família, mesmo quando não há laços de sangue, e se questionará sobre a noção de certo e errado em um mundo cheio de injustiças.

(Autora: Bettina Winkler | Editora: Qualis | Onde encontrar: Qualis Editora)

Enquanto for peixe, eu não Rio

Escritor e analista ambiental do Ibama no estado de Alagoas, David Maykell nasceu em Arapiraca, onde cresceu próximo à catedral da Nossa Senhora do Bom Conselho. Envolvido neste ambiente religioso, mas sem ter uma religião definida, ele começou a divulgar reflexões sobre as próprias andanças nas redes sociais.

Mas, após uma série de mudanças na vida pessoal, decidiu registrar as experiências nos Caminhos da Fé e em Santiago de Compostela por meio do livro Enquanto for peixe, eu não Rio.

(Autor: David Maykell | Onde encontrar: Amazon)

Mulheres da Bíblia em literatura de cordel

A autora cearense Gilmara Michael compartilha uma coletânea de 16 textos sobre diferentes mulheres fortes presentes nas Escrituras. Para isso, ela recorre à literatura de cordel, manifestação cultural típica do Nordeste brasileiro.

Ao apresentar ensinamentos sobre fé e espiritualidade, as narrativas das mulheres bíblicas servem como inspirações de coragem, determinação e protagonismo feminino entre os cristãos.

(Autora: Gilmara Michael | Editora: Mundo Cristão | Onde encontrar: Amazon)

Nos bastidores da vida

Para escrever esta obra, o cearense Alipio Rangel se inspirou nos anos de experiência como produtor de televisão, cinema, exposições artísticas e eventos.

Ele, que é sobrinho de Renato Aragão e iniciou a carreira na produção de conteúdo do grupo Os Trapalhões, ressalta as dificuldades do mercado cultural e a falta de apoio à produção artística no Brasil por meio da ficção.

(Autor: Alipio Rangel | Onde encontrar: Amazon)

Carta do Profeta

Muitos conhecem o meio-campista Hernanes por vestir a camisa do São Paulo ou da Seleção Brasileira, mas nem todos os admiradores do futebol sabem que o ex-jogador encerrou a carreira em casa, no Spot Club do Recife.

Foi em sua terra natal que o pernambucano se despediu dos gramados e abraçou a missão de profeta, agora descrita no livro Carta do Profeta, publicado pela Citadel Grupo Editorial.

(Autor: Hernanes | Editora: Citadel Grupo Editorial | Onde encontrar: Amazon)

 

O Machista e a Cordelista

Mestre em Artes da Cena e especialista em cultura popular brasileira, Graziela Barduco é uma das integrantes do Teodoras do Cordel, coletivo com o intuito de fortalecer o trabalho de cordelistas e preservar a manifestação cultural nordestina em São Paulo.

A partir deste compromisso, e inspirada em grandes nomes como Patativa do Assaré e Rouxinol do Rinaré, ela utiliza este formato de publicação para tratar sobre vivências femininas e feministas.

No lançamento O Machista e a Cordelista, exemplifica a dificuldade de o homem manter uma relação de amizade e respeito com a mulher, sem envolver interesses amorosos.

(Autora: Graziela Barduco | Onde encontrar: Site de vendas da autora)

O Cortiço

Natural de São Luís do Maranhão, Aluísio Azevedo publicou esta obra originalmente em 1890.

No livro, ele trata sobre os marginalizados: lavadeiras, trabalhadores braçais, malandros, pobres viúvas e migrantes.

A história, que é um retrato das mazelas sociais da capital do Império, ocorre no maior cortiço da cidade, criado por João Romão, um homem ambicioso e desonesto. Apesar do lugar inóspito, a vida não tarda a brotar desse chão fervilhante.

(Autor: Aluísio Azevedo | Editora: Via Leitura | Onde encontrar: Amazon)

 

  • Material produzido por  Luciana Leão, do EJ e Maria Clara Menezes, da LC Comunicação
Please follow and like us:

Luciana Leão

Leia mais →

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

2 × dois =

Twitter
Visit Us
Follow Me
LinkedIn
Share
Instagram