23ª Fenearte inova ao interagir com outros equipamentos culturais em PE

A 23ª Fenearte, que acontece de 05 a 16 de julho, sob a temática “Loiceiros de Pernambuco – Arte da Terra, Poesia das Mãos” vem com novidades em sua área territorial, além do Centro de Convenções, na cidade de Olinda, na RMR.

A feira irá se estender e interagir com outros equipamentos culturais entre as cidades do Recife e Olinda. Considerada a maior mostra de artesanato da América Latina irá criar vínculos com movimentos paralelos no design, na moda , nas artes visuais e na gastronomia.

Circuito Fenearte

Para isso, o Governo de Pernambuco, por meio da Empetur, Fundarpe, Secretaria Estadual de Cultura, Secretaria de Desenvolvimento Econômico, Agência de Desenvolvimento de Pernambuco (Adepe) e Secretaria de Turismo cria uma sinergia ao instituir o Circuito Fenearte, para outros 50 estabelecimentos, entre museus, galerias de artes, como o Cais do Sertão, onde acontece o ART- PE, iniciativa do arquiteto Diogo Viana, de 11 a 16 de julho; uma ponte pernambucana do Design Week, que acontece em São Paulo fará uma atividade no edifício Pernambuco, no bairro de Santo Antônio e mais 10 restaurantes participantes, fora do eixo do Centro de Convenções.

Além dessa inovação, o Governo irá fazer, pela primeira vez, um Estudo da Cadeia Produtiva do Artesanato sob a ótica de quatro eixos: mercado; economia criativa; artesãos; e os territórios originais dos profissionais.

“Vamos com essas inovações ativar e promover mais diálogo entre as áreas do turismo, da economia, das artes, da gastronomia e do design”, afirmou a diretora geral de  Promoção da Economia Criativa, da Agência de Desenvolvimento de Pernambuco (Adepe) e a Executiva da 23ª Edição da Fenearte, Camila Bandeira.

Segundo Camila, essa ampliação com outros equipamentos culturais entre Recife e Olinda, se deu pela identificação de que mais de 80% dos visitantes da Fenearte eram de Pernambuco. “Faz-se necessário crescer, além do ambiente do Centro de Convenções e , dessa forma, capilarizar para outros equipamentos. O artesanato dialoga com outras culturas como a gastronomia , o design”, acrescentou a gestora.

Política Pública

A governadora de Pernambuco, Raquel Lyra, destacou, durante a entrevista coletiva para apresentação e lançamento da Fenearte sua preocupação em maximizar o retorno econômico para os artesãos e sua determinação em tratar a arte como uma política pública.

“Envolver outras temáticas, levar a Fenearte para outros 50 espaços culturais no Recife e Olinda atrai mais turistas e outros personagens de nossa economia que, muitas vezes, podem ir a um outro espaço e, dessa forma, haver as conexões. A Fenearte é um expoente da grandeza cultural de nosso Estado”, declarou.

Para este ano, o Governo de Pernambuco destinou R$ 8 milhões, por meio de recursos da Adepe (Agência de Desenvolvimento de Pernambuco) e tem a expectativa de um retorno de R$ 40 milhões para a cadeia econômica envolvida na Fenearte.Durante 12 dias, deve receber aproximadamente 300 mil visitantes.

“Esses números podem ser até mais, por isso a importância de fazermos pela primeira vez, um Estudo de toda Cadeia Produtiva do Artesanato”, finalizou a governadora

Na sua 22ª edição, em 2022, o evento, que homenageou os 30 anos do Movimento Manguebeat, recebeu público superior a 300 mil pessoas e movimentou mais de R$ 40 milhões, com a participação de 5 mil expositores distribuídos em 700 espaços, em uma área de 30 mil m². Com investimento de R$ 7 milhões, o evento gerou cerca de 2,5 mil postos de trabalho temporários.

 

Please follow and like us:

Luciana Leão

Leia mais →

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

dezenove − 18 =

Twitter
Visit Us
Follow Me
LinkedIn
Share
Instagram