22ª Fenearte presta homenagem ao movimento Manguebeat

A Feira Nacional de Negócios do Artesanato (Fenearte) volta a acontecer no seu calendário tradicional, de 06 a 17 de julho, no Centro de Convenções de Pernambuco, em Olinda. Este ano, a exposição presta homenagem ao Manguebeat, um dos grandes acontecimentos da década de 1990 no Brasil, uma revolução cultural que eclodiu em Pernambuco e seu legado reverbera até hoje.

Com a imagem-símbolo de uma antena parabólica fincada na lama e outra no que acontecia ao redor do mundo, o movimento misturou o regional ao que era mais pop, articulou as manifestações culturais da periferia do Grande Recife e conseguiu conectar a cultura popular com expressões globais.

Fred Zero Quatro – Compositor e cantor do Mundo Livre S/A, um dos ícones do Manguebeat

Como a principal bandeira do Manguebeat é a diversidade cultural, ao promover o diálogo entre os saberes ancestrais e as expressões do movimento, a Fenearte amplia a audiência, forma novos públicos e permite diferentes articulações e aprendizados.

Nesta edição histórica, a Feira enaltece a riqueza cultural do artesanato e o seu potencial de negócios com uma extensa programação: salões de arte, desfiles de moda, oficinas gratuitas, rodas de conversas, shows, decoração, gastronomia, atividades infantis e muito mais.

 

 

Negócios e expositores

Este ano marcam presença cerca de 5 mil expositores distribuídos em 700 espaços, em uma área de 30 mil m². Com investimento de R$ 7 milhões, o evento vai gerar cerca de 2,5 mil postos de trabalho temporário e tem uma expectativa de movimentação financeira de R$ 40 milhões. Sempre muito concorrida, esta vigésima segunda edição espera atrair mais de 200 mil visitantes.

Vitrine da América Latina

A Fenearte é a maior vitrine de produção artesanal da América Latina e chega à 22ª edição com recorde de inscrições e fôlego na retomada. Expositores de 23 estados brasileiros e do Distrito Federal marcam presença nesta vigésima segunda edição apresentando um rico panorama da produção artesanal do País. O Programa do Artesanato Brasileiro (PAB) ocupará a área central do pavilhão com representações que traduzem tamanha diversidade.

O setor internacional, sempre muito concorrido pelo público, contará com 26 países, entre eles Angola, Emirados Árabes, Filipinas, Peru, Turquia e Tailândia. Atuando como importante instrumento de fomento à diversidade da economia criativa, juntamente com o Centro de Artesanato de Pernambuco – entre outras iniciativas do Governo do Estado – é a principal plataforma de geração de negócios do setor.

Tem o reconhecimento do IPHAN, por meio do prêmio Rodrigo Melo Franco, como uma iniciativa de preservação do patrimônio cultural imaterial, reconhecimento importante por valorizar e difundir os saberes tradicionais. A Fenearte é uma realização do Governo do Estado, Secretaria de Desenvolvimento Econômico do Estado (SDEC) e da Agência de Desenvolvimento de Pernambuco (Adepe).

Considerando a pluralidade da produção artesanal do Estado, a robusta participação de Pernambuco na Fenearte é de 80 %. Esta força criativa é ressaltada na Alameda dos Mestres pelos 64 artistas provenientes de todas as regiões pernambucanas.

A Fenearte é uma das maiores feiras do País. É a retomada do desenvolvimento econômico do Estado com a realização de uma das maiores ações de política pública para o artesanato. Mas não só. É o entendimento da riqueza e dimensão cultural que temos, que envolve vários setores culturais que são estruturais para a movimentação da economia criativa. É cultura como eixo do que gera renda, emprego e movimenta a economia; assim como legitima e preserva a identidade e saberes do nosso povo”, detalhou a coordenadora da Fenearte e diretora de Economia Criativa da Agência de Desenvolvimento Econômico de Pernambuco (Adepe), Márcia Souto.

A Fenearte renova-se a cada montagem, ampliando seu escopo e alcance. Entre os destaques deste ano estão:

● Exposição Comemorativa – Mercado Pop;

● Programação artística com Patrimônios Vivos e apresentações de influências do Manguebeat

● Participação do SOM na Rural apresentando o mais instigante da cena atual;

● Restaurante da Casa dos Frios no mezanino celebrando 64 anos deste patrimônio pernambucano;

● Cozinha Fenearte com aulas gastronômicas ministradas por 16 chefs pernambucanos;

● Rodas de Conversas no Espaço Janete Costa e a presença de 3 artesãos de Minas Gerais;

● 130 oficinas gratuitas somando 1.300 vagas;

● Ampla programação cultural com desfiles de moda, shows, três salões de arte e acessibilidade permeados por uma grande homenagem ao Movimento Manguebeat.

Saiba mais sobre a extensa programação: http://www.fenearte.pe.gov.br/

*Com informações da Assessoria de Imprensa da Fenearte

 

Please follow and like us:

Redacao EJ

Leia mais →

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

um × cinco =

Twitter
Visit Us
Follow Me
LinkedIn
Share
Instagram